Fast fashion

Fast fashion discutida por John Oliver

Dias após o Fashion Revolution Day, que marca o segundo ano após o colapso do complexo têxtil Rana Plaza em Dhaka, Bangladesh, matando mais de 1130 pessoas; o comediante John Oliver trouxe fast fashion à tona em um discurso articulado sobre as implicações morais da indústria da moda durante seu programa Last Week Tonight na HBO.

Provocativo desde o início, introduz o tema com “Moda, a personalidade que você pode comprar”.

Com os ciclos das coleções ficando cada vez mais enxutos – de acordo com o Karl-Johan Persson, CEO da H&M, todo dia existem peças novas chegando às lojas da marca, além dos preços estarem mais acessíveis do que nunca, o consumo está indo às alturas. Apenas em 2013, americanos compraram 64 peças de roupa per capita, ou seja, cada pessoa adquiriu pouco mais de 1 peça por semana.

Leia mais: Fast fashion, a moda descartável

Isso se dá graças aos preços ridiculamente baixos mantidos por gigantes do varejo como Zara e H&M, que pressionam as margens para baixo, atingindo toda a cadeia de suprimentos e impactando principalmente os trabalhadores de fábricas têxteis com condições subumanas de trabalho.

A GAP, por exemplo, já foi o centro de alguns escândalos envolvendo mão-de-obra infantil nos anos 2000 e, como se não tivesse nem se importado com isso, voltou a repetir em 2007.

Uma das maiores dificuldades ao mapear as irregularidades está na subcontratação não autorizada, já que as fábricas próprias das marcas costumam seguir normas de qualidade e são auditadas, mas quando há subcontratação, esse controle é perdido ao longo da cadeia de suprimentos.

John Oliver finaliza seu programa com um convite irônico aos CEOs das varejistas: eles seriam presenteados com um almoço barato cuja procedência é duvidosa para lembrá-los da forma como tratam seus produtos.

Já parou para pensar no impacto da fast fashion no ambiente e na vida das pessoas envolvidas na cadeia produtiva da moda? Se ainda não, aconselhamos fortemente a assistir ao documentário The True Cost. É lição de casa para qualquer um que se importe com uma produção e comércio mais justos.

Vimos na Time.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

1 comentário

  • Reply Vending machine mostra o que está por trás das roupas baratas - Trocaria 4 de maio de 2015 at 09:10

    […] Baratas, as camisetas atraíram muitos compradores que, ao selecionarem o tamanho da peça, encaravam a verdade que estava por trás do preço baixo: uma fábrica de roupas em Bangladesh que paga mulheres e crianças cerca de 13 centavos por hora para costurarem camisetas em um ambiente hostil, do qual já falamos aqui e aqui. […]

  • Deixe um comentário