iniciativas-moda-sustentavel
Atitude, Consumo consciente, Moda sustentável

11 iniciativas sustentáveis para mudar o consumo de moda

A indústria da moda é a segunda maior poluidora do mundo e a crescente pressão sobre as preocupações ambientais e sociais causadas por processos não-éticos encontrados nesta indústria está levando grandes marcas e empresas do setor a repensarem suas práticas – como a gente já contou no relato da nossa experiência no Youth Fashion Summit.

Por outro lado, como consumidores, a partir do momento que começamos a repensar nossos hábitos percebemos que existem alternativas e novas formas de consumir.

A economia compartilhada está ganhando cada vez mais força (plataformas de compartilhamento de carros, casas e músicas já são comuns em nosso dia a dia) e nos permite ter acesso e usufruir de um produto e/ou serviço sem precisar, necessariamente, possuí-lo.

E na moda não é diferente. Muitas iniciativas estão nascendo com esse propósito, seja para trocar, emprestar ou alugar, podemos escolher uma grande quantidade de peças que nos interessam e usar de uma maneira mais econômica e sustentável, assim evitamos o acúmulo de roupas esquecidas no fundo de nossos guarda-roupas.

Uma pesquisa realizada pela Wrap Research, do Reino Unido, afirmou que ao aumentar a vida útil de uma peça de roupa por apenas 3 meses pode levar a uma redução de 5 a 10% na pegada de carbono, água e resíduos.

Se no futuro os recursos naturais se tornarão cada vez mais escassos e caros, o uso de plataformas que incentivam o compartilhamento e trocas serão cada vez mais populares.

É o início de um novo olhar sobre como consumir moda, de menos posse, mais acesso, menos desperdício e mais conexão. Abaixo listamos algumas iniciativas que adoramos e apoiamos. Confira!

Lucid Bag

Uma comunidade de empréstimo, aluguel e trocas de roupas e acessórios. O projeto acredita que pegar emprestado é um ótimo jeito de evitar compras desnecessárias, além de aumentar a vida útil das peças que estão esquecidas no armário.

Trocaria

Uma plataforma online para a compra, venda e, em breve, troca de itens pré-usados e ‘para sempre amados”. Acreditam e incentivam o consumo consciente e colaborativo da moda por meio da prática da troca e reuso de roupas e acessórios. Também realizam festas de troca.

Roupateca

Um guarda-roupa compartilhado que funciona por assinatura mensal, acreditam que as pessoas juntas, em rede, são mais importantes que a roupa que consomem. Pessoas e marcas ajudam a construir um acervo vivo, com peças de qualidade e atemporais, que carregam informação de moda e beleza, mas também trazem conexões.

Repassa

Uma comunidade virtual de compra e venda de itens de moda gentilmente usados, que remunera a influência das pessoas.

Projeto Gaveta

Com a ideia inicialmente de difundir o conceito de clothing swap no Brasil, criando uma rede onde os participantes pudessem trocar roupas que não usam mais, hoje o projeto Gaveta é um movimento que incentiva uma moda mais humana, real e sustentável através dos eventos que realizam periodicamente.

Excambo

Acreditam que é nossa responsabilidade olhar para os hábitos do dia-a-dia e escolher a melhor forma de nos relacionarmos com a sociedade e o mundo. O projeto organiza eventos de trocas de tudo aquilo que está parado e que não faz mais sentido guardar prolongando a vida útil de cada produto, além de compartilhar muitas histórias.

Aplicativo Roupa Livre

O aplicativo permite trocar roupas usadas por peças de outras pessoas, funciona como o Tinder das roupas, é só curtir uma peça de alguém que curtiu uma sua e combinar a troca.

Trocaderia

É um projeto que promove trocas divertidas. Ele acredita em consumo consciente, moda acessível, eventos animados e em novas chances para os itens que estão parados em armários por aí.

Brick dos Desapegos

É uma feira de moda sustentável que incentiva e fomenta o desapego. Em suas edições congrega expositores de desapegos (pessoas físicas que querem repassar suas pecinhas queridas), brechós itinerantes (pessoas jurídicas) e marcas autorais sustentáveis. Além da venda de vestuário, a cada edição, um conteúdo sobre moda sustentável para debater e refletir.

Trocaí

Um projeto de economia compartilhada que reúne diversas atividades por um consumo mais consciente com objetivo de ajudar as pessoas a repensarem seus hábitos de consumo por um planeta melhor e por um estilo de vida mais sustentável. Desde novembro de 2015, realizam, em São Paulo e outras cidades: feiras de trocas, palestras e workshops, consultorias de moda sustentável e oficinas de educação ambiental.

Espichamos

Uma plataforma online para venda, compra, troca ou doação de itens de crianças e bebês.O projeto foi criado com o objetivo de repensarmos a nossa relação com o consumo, ser consciente, solidário e sustentável.

Esse artigo foi originalmente escrito pelo Slow Down Fashion, guia de marcas locais e inovadoras.

Moda sustentável, Trocaria

Youth Fashion Summit 2017: jovens mudando a cara da indústria da moda

De 9 a 10 de maio aconteceu o Youth Fashion Summit (YFS), programa liderado pela Global Fashion Agenda (GFA) e Copenhagen School of Design and Technology (KEA) que reuniu a nova geração de estudantes e profissionais com o objetivo de gerar inputs para transformar a indústria da moda.

O Youth Fashion Summit é parte da agenda do congresso mais relevante em moda sustentável da atualidade: o Copenhagen Fashion Summit (CFS) que acontece anualmente na Dinamarca.

Proporcionando discussões de alto nível para problemas reais, esse programa tem como propósito preparar novos profissionais com conhecimento e networking, garantindo assim, a esperança de práticas sustentáveis na essência dos profissionais do futuro.

Grupo do Youth Fashion Summit 2017. Fonte: Copenhagen Fashion Summit

Grupo do Youth Fashion Summit 2017. Fonte: Copenhagen Fashion Summit

O Trocaria foi convidado a integrar um time de cinquenta jovens selecionados, todos reunidos na DR Koncerthuset, em Copenhagen, na Dinamarca, com o objetivo de iniciar a elaboração da primeira resolução em moda da Organização das Nações Unidas (ONU), que deverá ser apresentada em evento oficial ao final deste ano, na cidade de Nova York. O documento baseou-se nas demandas apresentadas durante o CFS 2016, que exploravam a fundo a interferência da moda em cada um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU para 2030, indicadores que convocam países a mobilizar esforços para acabar com todas as formas de pobreza, combater desigualdades e atacar mudanças climáticas.

Além do Trocaria, o Brasil também marcou presença no YFS com a participação de Larissa Roviezzo (colaboradora do FFW atualmente cursando mestrado em Sustentabilidade na Moda) e Alice Beyer Schuch (Mestre em Sustentabilidade na Moda e atual consultora e tutora em Circular Fashion na Europa e Brasil – nas empresas Cirkla Modo e ES-fashion).

Blogueira Susie Lau, do Susie Bubble, faz discurso inspiracional. Fonte: Copenhagen Fashion

Blogueira Susie Lau, do Susie Bubble, faz discurso inspiracional. Fonte: Copenhagen Fashion

Realizado nos dois dias precedentes ao Copenhagen Fashion Summit, o YFS contou com apresentações inspiracionais, como a da embaixadora do evento, a blogueira e influenciadora Susie Lau – que além de estar direcionando seu olhar único às questões sustentáveis na moda, vem buscando entender como a imprensa pode informar consumidores e ajudar a expandir essa transformação em ações. Simon Collins, fundador e CEO da Fashion Culture Design Series, apresentou ao grupo conceitos relevantes sobre apresentação, posicionamento e valores de produtos e marcas, incentivando designers a criar soluções atraentes, enfatizando a necessidade de se ter um propósito.

Foque em “criar valor, não lucro”

Dax Lovegrove, Vice-Presidente Global de Sustentabilidade Empresarial e Responsabilidade Social da Swarovski, trouxe diferentes perspectivas sobre o tema, mencionando que as mudanças rumo à sustentabilidade atendem a três diferentes áreas:

  • Foot Print: que se refere a nossa relação e impacto ao meio ambiente
  • Political Print: a responsabilidade e iniciativas sociais
  • Mind Print: que fala sobre a nossa mudança de mentalidade e comportamento
Profissionais do futuro elaborando suas resoluções à ONU durante o Youth Fashion Summit. Fonte: Copenhagen Fashion Summit

Profissionais do futuro elaborando suas resoluções à ONU durante o Youth Fashion Summit. Fonte: Copenhagen Fashion Summit

Os estudantes foram divididos em 7 grupos diferentes, cada um focado em grupos de ODSs, com o intuito de desenvolver ideias para formar a primeira resolução das Nações Unidas em moda sustentável. Cada grupo ainda teve a possibilidade de apresentar e receber feedback de suas ideias em uma conversa direta e franca com representantes de cada setor: instituições governamentais estavam representadas pela Agência do Meio Ambiente Europeia (EEA), Swarovski representando o setor de luxo, H&M como mainstream fashion, Li&Fung como fabricante, e ainda Greenpeace como representante da sociedade civil.

Apresentação no palco do CFS 2017. Fonte: Copenhagen Fashion Summit

O resultado deste trabalho foi exibido no palco principal do Copenhagen Fashion Summit, no último dia 11, para mais de 800 líderes do setor de moda, ONGs, política, universidades e importantes stakeholders. Apresentado pela Professora Doutora Dilys Williams, Diretora do Centre for Sustainable Fashion no London College of Fashion, representantes de cada grupo expressaram uma breve versão dos pontos extremamente necessários a serem mudados, convocando a indústria e os membros envolvidos a se comprometerem com urgência (o vídeo pode ser assistido online de 1h 11m a 1h35min).

“Sustentabilidade na moda não é apenas a coisa “certa” a fazer, mas é onde o futuro da moda se encontra” – Susie Lau

O primeiro draft em moda sustentável da ONU, elaborado durante o Youth Fashion Summit, pode ser encontrado aqui.

Artigo escrito por: Alice Beyer Schuch, Evelise Biviatello e Larissa Roviezzo

Trocaria - Fashion Revolution Brasil
Moda sustentável, Trocaria

Trocaria na Fashion Revolution Week 2017

Trocaria chega à 4ª edição da sua festa de trocas no dia 29/4, durante a Fashion Revolution Week. Traga seus desapegos e participe da revolução da moda!

O bazar de trocas do Trocaria está de volta! Queremos te convidar para fazer parte da revolução da moda com a gente durante a Fashion Revolution Week 2017, em São Paulo.

Separe seus desapegos e renove o guarda-roupas de maneira colaborativa e consciente durante a nossa festa de trocas que acontecerá no dia 29/4, das 11 às 18h, na Unibes Cultural, como parte da programação da Fashion Revolution Week 2017.

Como funciona nossa festa de trocas?

Como funciona - Trocaria na Fashion Revolution Week

Participar é fácil, basta se inscrever em http://bit.ly/trocaria-frw2017. O evento é gratuito, você só precisa levar até 15 peças de roupas limpas, lindas e loucas por um novo guarda-roupas. A equipe do Trocaria faz a curadoria, separa as peças em araras e te entrega fichas equivalentes, que servem como moeda de troca. Leia mais

Desfile Amir Slama SPFW 2017
Atitude, Tá na moda, Tendências

Flashes de fotógrafos revelam mensagens empoderadoras no SPFW 2017

Em ação destacando a igualdade de gênero, desfile de Amir Slama trouxe frases de empoderamento como ‘minha saia não é um convite’ e ‘me visto como eu quiser’ escritas nos corpos de modelos

Na última quinta (16), o estilista Amir Slama mandou uma mensagem poderosa contra o assédio sofrido diariamente por mulheres durante o desfile da sua coleção de Inverno 2017 na São Paulo Fashion Week.

Frases de conscientização e empoderamento feminino como “Decote não é convite”, “Minha saia não é permissão”, “Me visto como eu quiser” e “Perna de fora não é provocação” foram aplicadas em diversas partes dos corpos das modelos com uma tinta especial invisível, mas que só podiam ser visualizadas em fotografias tiradas com flash, mostrando que a culpabilização da vítima ainda é invisível para muitas pessoas. A ação foi ativada no evento pela hashtag #decotenaoeconvite.

Desfile Amir Slama SPFW 2017

A ação é parte do projeto Sexismo Invisível, desenvolvido pelo Estadão em parceria com a agência de publicidade FCB Brasil, com objetivo de promover o debate sobre o assédio nem sempre explícito (mas muito comum) enfrentado pelas mulheres. Leia mais

Moda sustentável

11 livros de moda e sustentabilidade para ler em 2017

Não importa se você é profissional da área de moda ou apenas um consumidor consciente tentando entender como a indústria funciona, conhecimento nunca é demais. Por isso, selecionamos alguns dos mais conceituados livros de moda e sustentabilidade para manter na cabeceira ou no e-reader e despertar a vontade de fazer a diferença em 2017. Confira!

1. Overdressed: The Shockingly High Cost of Cheap Fashion (2012)

Elizabeth L. Cline
Editora Portfolio

Em Overdressed, Elizabeth Cline investiga a verdadeira natureza da fast fashion, traçando a ascensão das cadeias de moda barata, a morte do mercado intermediário e de varejistas independentes e as raízes da nossa obsessão com barganhas. Ela visita fábricas têxteis na China e em Bangladesh e analisa o impacto do drástico aumento das importações provenientes destes países. Cline argumenta que os ciclos acelerados de consumo não danificam apenas o meio ambiente, mas são prejudiciais também para nós mesmos. Suas descobertas parecem chocantes, mas o objetivo é chamar a atenção para a causa e despertar um comportamento de consumo mais sustentável. Leia mais