coleção de moda compartilhada
Consumo Consciente, Moda Sustentável, Slow Fashion, Trocaria

#MaisAmorMenosRoupa, uma coleção colaborativa para trocar

E se, ao invés de comprar roupas novas, você pudesse pegar peças de uma coleção emprestadas, mas apenas se repassasse pra frente depois?

Milhões de toneladas de roupas são desperdiçadas todos os anos no mundo. É matéria-prima e muito trabalho envolvido que vai para o lixo, sendo que a maior parte das peças ainda está em perfeita condição de reuso. É hora de passar para frente as roupas que já compartilharam tantos momentos conosco, mas já não têm mais lugar em nossas vidas – e armários.

É por isso que o Trocaria, em parceria com algumas das marcas e designers mais sustentáveis e bacanas do Brasil, uniram forças para inspirar acerca do consumo consciente e colaborativo de roupas.

Assim surgiu a #MaisAmorMenosRoupa, uma coleção compartilhada na qual você pega uma peça emprestada, usa e depois passa ela pra frente!

Funciona assim:Campanha #MaisAmorMenosRoupa - consumo colaborativoMostre que ter estilo é apoiar uma boa causa e junte-se ao movimento #MaisAmorMenosRoupa no Instagram do Trocaria.

☛ Conheça as marcas apoiadoras:

☛ Junte-se ao movimento e compartilhe suas próprias roupas!

Nós incentivamos todo mundo a contribuir com o movimento #MaisAmorMenosRoupa. Mesmo que você não consiga emprestar nenhum item da nossa coleção, abra seu armário e compartilhe as roupas que vocês não usa mais! Funciona assim:

1. Tire uma foto do item que você gostaria de compartilhar.
2. Publique a foto no Instagram, marque o @eutrocaria e use a hashtag #MaisAmorMenosRoupa junto com a sua geolocalização.
3. Combine a forma de entrega com a primeira pessoa que comentar no post e passe sua roupa adiante.

Curtiu? Então saiba mais sobre a coleção mais colaborativa do Brasil!
armário-cápsula
Minimalismo, Slow Fashion

Armário-cápsula: o que é e como montar um

Armário-cápsula, termo criado pela britânica Susie Faux nos anos 70, consiste em uma coleção de poucos itens essenciais de roupas que não se tornam obsoletos com a mudança das tendências de moda.

Nos dias de hoje, o termo se refere a uma coleção limitada de peças que, quando combinadas entre si, maximizam o número de looks originados a partir das roupas iniciais. O objetivo é ter um look apropriado para cada ocasião sem possuir uma quantidade excessiva de roupas (que normalmente ficam encostadas no armário depois de um tempo).

Armário-cápsula é uma técnica que consiste em escolher uma quantidade limitada de peças para vestir durante um tempo determinado, sem comprar nada novo, apenas criando combinações com as peças existentes.

O conceito vem sendo difundido por blogs como o Un-Fancy, onde a blogueira Caroline encara o desafio de viver com apenas 37 peças de roupas que são atualizadas a cada três meses – sem comprar nada por impulso.

guarda-roupa-minimalista

Leia mais

Fashion Revolution Day
Consumo Consciente, Moda Sustentável

5 TED Talks inspiradores para repensar nossas escolhas de moda

5 TED Talks poderosos que vão te inspirar a reciclar, reusar e reinventar seu guarda-roupas a fim de reduzir o impacto do seu estilo no meio ambiente

Num momento em que fast-fashion vem ganhando cada vez mais espaço, a moda sustentável tem se tornado uma necessidade urgente e uma responsabilidade a ser compartilhada igualmente entre marcas, designers e consumidores através de escolhas de produção e consumo sustentáveis.

Estes 5 TED Talks inspiradores eram o que faltava para mudar seus hábitos de consumo e repensar suas escolhas de moda. Confira!

Reparando a indústria da moda – Orsola de Castro

Orsola de Castro, fundadora do movimento Fashion Revolution, defende o upcycling como uma solução de design para um problema ambiental de proporções massivas. Uma pioneira do upcycling, ela acredita no poder de transformar o que não tem mais valor de uso em novas peças, estendendo a vida útil das roupas e promovendo uma atitude mais responsável acerca da sustentabilidade na moda.

O guarda-roupas de morrer – Lucy Siegle

Lucy Siegle examina a história desumana e ambientalmente devastadora por trás das roupas que vestimos.

Com um olhar crítico sobre nossa mania de comprar roupa barata das grandes cadeias de varejo, a chamada fast-fashion, seu discurso chama atenção para as mudanças urgentes que podem e devem ser feitas tanto por empresas quanto pelos consumidores. Lucy destaca que é possível ser uma ‘fashionista ética’ simplesmente por tomar ciência de como e onde (e por quem) nossas roupas são produzidas.

Vestindo nada de novo – Jessi Arrington

Para uma viagem de uma semana, a designer Jessi Arrington leva nada mais do que 7 calcinhas. Nem mais, nem menos. O restante de suas roupas ela compra em brechós pela cidade, o que permite que ela viva uma aventura por dia ao mesmo tempo em que reduz sua pegada de carbono. De acordo com Jessi, isso é uma meditação em torno do consumo consciente – embalada num arco-íris de cores e criatividade.

Plante suas próprias roupas – Suzanne Lee

A designer Suzanne Lee compartilha seu experimento de plantar bio-materiais que podem ser utilizados como tecido ou couro vegetal para fazer suas próprias roupas. O processo é fascinante, os resultados são belíssimos e o potencial desse material pode revolucionar a indústria têxtil.

Você é o que você veste – Christina Dean

Dr. Christina Dean fala sobre como, num belo dia, ela percebeu que possuía 19 pares de jeans! – uma observação que a fez refletir sobre os recursos usados na fabricação de cada par de jeans. O tecido jeans é fabricado utilizando algodão, um dos plantios que mais necessitam de água para crescer: quase 6 mil litros de água são necessários para produzir 680 gramas de algodão usado para fazer cada calça jeans. É muita água! Agora olhe para o seu guarda-roupas e faça as contas. A indústria têxtil realmente tem que impactar o planeta? Christina finaliza afirmando que a maioria dos tecidos são quase 100% recicláveis, e que não existe razão para que vão parar nos aterros sanitários quando poderíamos reusar ou doar nossas roupas antigas.

BÔNUS: Eva Kruse e seu discurso sobre mudar o mundo através da moda
mudando o mundo através da moda
Consumo Consciente, Moda Sustentável

Mudando o mundo através da moda

É possível que alguém viciado em moda seja verdadeiramente sustentável quando tudo o que se busca é estilo?

Não é novidade que a gente aqui do Trocaria ama Ted Talks – já falamos como criar um guarda-roupas de 10 itens e também mostramos que ter menos coisas é o caminho para mais felicidade.

Mas um discurso de Eva Kruse, CEO do Danish Fashion Institute e da Copenhagen Fashion Week, me fez pausar para escrever sobre a visão – compartilhada pelo Trocaria – de que mudando a mentalidade acerca da segunda indústria mais poluidora do planeta, estilo e sustentabilidade podem SIM andar de mãos dadas.

Ame suas roupas, cuide bem delas

De acordo com Eva, nós não compramos roupas para salvar o planeta, visto que somos sempre motivados por estilo e por como nos sentimos. Comprar artigos de moda é algo que fazemos porque gostamos da cor, do caimento ou porque queremos estar bem-vestidos para sair no sábado à noite. E por isso existe uma grande responsabilidade da indústria em oferecer uma escolha sustentável que seja igualmente desejável, sexy e fantástica como a moda produzida convencionalmente.

E nós, como consumidores conscientes, sabemos que temos influência no que acontece no mundo da moda. A melhor parte é que, se cada um fizer pequenas mudanças em nosso mundo diariamente, vamos acabar incentivando um movimento ainda maior. Nós não precisamos deixar design e cores de lado – a solução está em fabricar, selecionar e criar uma coleção de uma maneira diferente, mas o design pode ser igualmente atraente.

Eva afirma que 60% do impacto ambiental de um tecido é causado durante a fase de produção, enquanto que os 40% restantes são de responsabilidade do consumidor. Dessa forma, ela salienta que os consumidores tem um papel fundamental na transição da indústria da moda para modelos de negócios sustentáveis que reduzem significativamente os impactos sociais e ambientais da indústria. Com algumas simples ações, como lavar menos, passar as roupas menos frequentemente, comprar peças orgânicas ou doar o que não se usa mais, já estaremos agindo de maneira responsável.

Esse TED Talk de Eva é um discurso imperdível sobre moda sustentável e parada obrigatória para consumidores responsáveis. Totally worth watching!

Leia também: 5 TED Talks inspiradores para repensar nossas escolhas de moda
less stuff, more happiness
Consumo Consciente, Minimalismo

Menos coisas, mais felicidade

Será que ter menos coisas, em um espaço menor, traz mais felicidade?

Falar que o aumento do poder aquisitivo da população leva ao aumento do consumo chega a ser redundante. Mas o que pouco se fala é do resultado disso: o consumismo.

Consumo e consumismo são termos que soam parecidos, mas possuem significados bem diferentes: enquanto consumo é uma atividade vital para fazer a economia girar e suprir nossas necessidades do dia-a-dia, consumismo se associa ao hábito de comprar bens supérfluos impulsionados por um desejo sem que haja uma necessidade real.

A sociedade contemporânea nos estimula a consumirmos cada vez mais, iludindo-nos com a ideia de que, através da aquisição de bens, nos sentiremos mais felizes e realizados. Doce ilusão.

Em seu TED Talk “Less stuff, more happiness”, o arquiteto e designer canadense Graham Hill pergunta: Será que ter menos coisas, em um espaço menor, leva a mais felicidade?

Segundo Hill, os norte-americanos possuem hoje três vezes mais espaço do que possuíam 50 anos atrás. Ainda assim, o mercado de “armazenamento pessoal” não para de crescer no país e já movimenta 22 bilhões de dólares por ano. O resultado desse acúmulo cada vez maior de pertences leva a mais dívidas no cartão de crédito, aumento da pegada ecológica e mais estresse, lembra o palestrante.

Hill então sugere uma nova maneira de fazer com que o menos, na verdade, signifique mais. Sabe como? Através do desapego! Ele questiona sobre nossas vidas enquanto morávamos numa moradia estudantil durante a universidade, ou durante viagens, onde passamos por experiências em campings ou albergues com quartos compartilhados, dizendo que estas experiências nos trouxeram um pouco mais de liberdade, tempo e tranquilidade. Pensando nisso, Hill criou o projeto Vida Editada (Life Edited) no site lifeedited.org.

Leia mais